quarta-feira, 17 de julho de 2013

A OCUPAÇÃO DE ESPAÇOS: UMA AFIRMAÇÃO DE VIDA!


Ocupemos as praças, utilizemos os espaços. Uma vida sem encanto tem catraca em todo canto. Caminhemos pela cidade do Sol até onde este brilhe de forma mais intensa. Libertemos-nos dos prédios, de forma a vermos os morros, as dunas, essa topografia do sonho. Refaçamos os caminhos daqueles que vieram antes de nós. Façamos nosso caminho. Nossas veredas.

Porque as catracas, ah elas estão em todos os lugares. Elas estão em mim! Elas estão em vocês! Mas uma vida sem encanto tem catraca em todo canto! Quebremos as catracas! Catracas podem ser quebradas com atividade, com música, com poesia e também ao sabermos dizer NÃO!

Os partidos não estão em consonância com práticas horizontais como as que temos presenciamos recentemente por um motivo muito simples: os palanques são verticais, são do mesmo tempo dessas outras demonstrações de poder vertical espelhados pelas cidades. Monumentos, estátuas, em que o orador, aquele a ser cultuado em está sempre acima dos demais e em maior estatura sempre, enquanto os demais o admiram como um Deus, de olhos fixos como que a esperar migalhas de salvação.

E por ser horizontal, por ser algo que está acima da alcunha de SUJEITO, alguns que saem as ruas (e o número cresce a cada ato) decidem usar máscaras, não por temer, mas pela decisão pessoal de não aparecer, de ser anônimo. Não podem ser criminalizados por isso, inclusive por ser do conhecimento de todos que aqueles que representam o braço aparelhado do estado não se identificam.

Todos os dias são maravilhosos, mas há dias melhores do que outros!



Apossam-se dos lugares
Para exposições fajutas
Exigem todo respeito
Não revendo suas condutas
De uma forma transversal
Tentam sufocar as lutas
Contra o medo virtual
A poesia é catapulta

Controlando os transportes
Programando os teus horários
Aumentando as tarifas
Empobrecem os honorários
Rindo assim de nossa cara
Fazendo-nos de otários
Engordando suas contas

Maltratando os operários