quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

SAINDO PARA ENTRAR

Toda a tarde sai e vê a cidade ao longe.

Sente como se saísse de si.

Percebe a convivência de outro foco.

De onde está, pode com nitidez observar

a matrix de que somos parte.

A Igreja, os coqueiros, as antenas,

a estrada, os carros, as bicicletas,

as pessoas, os insetos, as borboletas,

as nuvens, as serras, as cores,

os pássaros, o som, o sonho,

a vida, a morte, o vento, o tempo, parado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário